cpf-sabado-acoes-top-post.png

Dia das boas ações – Manguinhos

Um sábado de paz e de fazer as pazes com a brincadeira, com a possibilidade de rir e encontrar os amigos na praça em frente à na Biblioteca Parque de Manguinhos. Pra brincar junto, o grupo Corre Cutia, formado por cinco mulheres da música, do riso e da troca, criou espaços para as brincadeiras de infância, pra bola de sabão, pular corda, amarelinha, desenhar imagens com giz no chão, assistir uma peça e porque não cantar, dançar e unir vozes pelos direitos que são de todos, inclusive das crianças, entendendo que elas são PRIORIDADE.

Nesse ano, o projeto Criança Pequena em Foco, junto com parceiros e moradores da ou favela de Manguinhos, iniciou a reforma da Pracinha do Mandela. Com o apoio de diversos doadores através da campanha de financiamento coletivo, de parceiros do poder público, doações de empresas privadas e principalmente com a participação das crianças, conseguimos os recursos para a restauração da praça. A ação foi inserida na programação do Dia de Boas Ações, evento organizado pelo Atados, e o mutirão final de reforma e brincadeira aconteceria no dia 2 de abril embarcando nessa energia de ações voluntárias que aconteceriam no mundo inteiro. Infelizmente fomos impedidos de realizar essa ação coletiva por conta dos intensos conflitos que aconteceram na região. Mas isso não impediu que diversos moradores dessem continuidade ao processo com pintura e plantio de mudas na praça. Hoje a pracinha está bonita, com brinquedos novos e colorida, mas também ganhou novas marcas de tiros.  Marcas essas que não nos deixam esquecer das diversas vítimas de balas perdidas. A ocupação dos espaços públicos é uma realidade nos ambientes de favela, as ruas, muitas vezes, são a extensão das casas, o local de encontro e de brincadeiras. A reforma da pracinha tinha como objetivo deixar esse espaço público mais atrativo e seguro para as crianças, mas torna-se inviável atingir esse objetivo quando se vive em estado de guerra como a população de favelas cariocas vivem. E como ficam as crianças no meio disso tudo? Como brincam essas crianças que não podem ficar na rua e que estão perdendo vários dias de aula por conta de tiroteios?

Pensando nessas questões que nos articulamos para realizar uma tarde repleta de brincadeiras e diversão. Fomos para outro espaço dentro do território, um espaço mais “seguro” e também de resistência, a Biblioteca Parque de Manguinhos. A Biblioteca, fechada desde dezembro de 2016, está ocupada por coletivos artísticos do território. Esses grupos se organizaram para manter a limpeza, segurança e atividades no local, mesmo com toda a precariedade gerada pelo Estado do Rio de Janeiro. O projeto Recriando Manguinhos, que trabalha com oficinas de Direitos Humanos e Cidadania para as crianças da região, abraçou a ideia e levou os pequenos para participarem. O Atados nos apoiou proporcionando que o grupo Corre Cutia pudesse estar presente agitando a tarde de brincadeiras.  A dupla Arte Andarilha chegou voluntariamente com sua bibliocicleta e seu teatro de bonecos.  Famílias chegaram para ver e diversas crianças apareceram para brincar.

O encerramento das atividades ficou por conta das crianças. Após uma oficina de construção de instrumentos musicais reciclados, as crianças se organizaram e saíram em cortejo pela praça do DESUP gritando “Queremos Biblioteca”. Ainda tem gente que diz que as crianças são o futuro, mal sabem que elas já são o presente!

 

Veja aqui o álbum com todas as fotos desse encontro.

Comentários