Adolescentes são protagonistas em nova Rede de Educação

Alunos reunidos em busca de voz ativa na educação. Na última quarta-feira, dia 30 de março, ocorreu no Museu de Arte do Rio (MAR) o lançamento da Rede Educação com Adolescentes, que visa contribuir com a educação do segundo segmento do Ensino Fundamental (6º ao 9º anos) no Rio de Janeiro, a partir de uma ótica colaborativa e com diálogo direto com os alunos da rede pública de ensino.

O evento mobilizou mais de 150 pessoas em atividades lúdicas e debates entre alunos, professores e representantes da Secretaria Municipal de Educação, além dos estudantes Nicolly Cecília Santos e Silva e Rafael Rodrigues de Oliveira, do movimento Ocupa Escola, de São Paulo.

Jovens da Oi Kabum! participaram como mediadores dos debates entre adolescentes, que tiveram seis temas distintos: sexualidade, diversidade/identidades, participação democrática, sala de aula, relação adultos/adolescentes e relação adolescentes/comunidades. Aproximadamente 20 alunos debateram cada tema. O objetivo dos mediadores foi facilitar o diálogo entre os adolescentes e fomentar a discussão. No final de cada debate com os adolescentes, foi escrito um manifesto que será enviado à Secretaria de Educação para que seja discutida a implementação dos pedidos feitos pelos alunos.

Na roda de debate sobre diversidade, foi possível ver o quanto esse tipo de conversa mediada por jovens é importante: houve vários relatos de bullying, racismo, homofobia e também se falou da incapacidade da escola em lidar com isso. Foi muito comum ouvir os alunos dizendo que falavam com os professores, diretores e até mesmo os próprios pais, mas todos sempre achavam que era “brincadeira de criança”. Dentre muitos relatos emocionantes, desabafos e choro, esses alunos sentiram ali uma segurança muito maior do que em suas próprias escolas, que deviam ser um local acolhedor.

Um dos pedidos do manifesto na roda de diversidade é uma capacitação melhor dos professores para a resolução de casos de bullying, o que expõe um despreparo dos profissionais da educação em relação aos alunos, que sabem os problemas que a escola tem, e mostra a importância de ouvir os estudantes.

O sentimento geral da inauguração da Rede era de alegria, de que enfim os alunos teriam voz nas escolas e de que as mudanças poderia ser feitas a partir de suas perspectivas. Alunos de 14 a 16 anos, que achavam que nunca seriam levados a sério, pensando em como eles podem se unir para mudar sua escola. E a esperança de que com todo esse esforço mudanças consigam ser feitas num sistema educacional que já está defasado para os dias atuais.

(Eloi Leones, aluno de Vídeo na Oi Kabum! Rio)

 

Aprendendo a mediar

“Quando surgiu a oportunidade de fazer uma oficina de mediação participei por achar que seria interessante e por não ter grande conhecimento sobre o assunto. Ao preparar uma material para apresentar quando vamos ser mediadores paramos para pensar em cada assunto ali falado, mediar é uma forma de parar para refletir. Além disso, é um exercício muito bom para aprender a compreender cada pessoa na sua forma de pensar. Conversando com os meninos do ensino público pude perceber que nenhum está satisfeito com o atual sistema de ensino, e cada um deles gostaria de mudar isso. Trazer essas questões para pessoas tão jovens me fez sentir muito bem. Espero que os encontros da Rede de Educação com Adolescentes continue e possa realmente fazer diferença.”

(Tereza Lumo, aluna de Fotografia na Oi Kabum! Rio, participante da oficina “Facilitar diálogos” e mediadora no encontro da Rede Educação com Adolescentes)
Fotos: Lucas André, Pamela Victória e Tereza Lumo (Oi Kabum!)
Orientação: Eliane Heeren (fotografia) e Noale Toja (mediação e vídeo)

 

Fotografias de Lucas André, Pamela Victoria e Tereza Lumo.

Comentários